Please reload

Posts Recentes

Como fazer os seus personagens: a jornada do herói e seus arquétipos

October 1, 2017

1/2
Please reload

Posts Em Destaque

O Hobbit, Harry Potter e a jornada do herói

September 27, 2017

 

 

Nós, amantes da ficção, somos suspeitos ao falar sobre as grandes histórias do mundo literário, tal como a Saga do Anel de Tolkien, e as aventuras de Harry Potter de Rowling, sendo até impossível de não mencionar as tramas dos filmes de Hollywood, tal como a viagem no tempo de Mcfly, entre outros. Há algo nessas histórias que nos cativam, que nos fazem sonhar com os mundos imaginados de forma especial, envolvente. Não é por acaso que as histórias apresentam certos elementos narrativos padronizados, os quais integram mecanismos de cativação do público aos personagens. É um artifício conhecido pelos escritores e roteiristas de filmes, formando uma bela receita para uma boa história. Nesse caso, iremos tratar da teoria da Jornada do Herói, cujos elementos integram as maiores obras recentes do Mundo Nerd.

 

Peguemos como exemplo duas obras bastante conhecidas pelo público amante da fantasia. Nunca se perguntou as semelhanças entre Harry Potter e o Hobbit, por exemplo? Elas se fazem presentes nos elementos da narrativa, desde dos primeiros momentos até o final. Ora, afinal, perceba que Harry Potter e Bilbo Bolseiro são dois protagonistas que estão acostumados com uma vida comum em suas vidas comuns, que, contrariando essa linearidade pacata, são chamados à uma aventura por um personagem que irá se tornar um grande amigo posteriormente, que passam por desafios e provações durante a história e vencem o vilão no final, e retornam para as suas vidas comuns, mas com uma bagagem de conhecimento nas costas adquirida durante a aventura. Essa semelhança nada mais do que é um modelo de 12 passos criado por Joseph Campbell, estudioso de mitologia e religião comparada, em sua obra “O Herói de Mil Faces”.

 

É bem simples entender a ideia básica desse modelo. A Jornada do herói se baseia na construção de Herói do protagonista durante a narrativa da trama, de modo que ele saia de um personagem simples e bastante comum, e se torne um personagem possuidor de feitos heroicos e de valores dignos. É possível se dizer que O Hobbit seja um grande exemplo, pois Bilbo, como sendo um hobbit, e estes ditos como seres de vida simples a acostumados com isso, acaba se tornando um sedento por aventuras, tendo enfrentado um dragão e participado de uma batalha de cinco exércitos. Para entender melhor, veja a seguir os 12 passos, com comparações ao Hobbit e Harry Potter, este último quanto ao livro “Harry Potter e a Pedra Filosofal”.

 

Passo 1 – Mundo Comum

Aqui geralmente nos é apresentado a vida comum do personagem, que o torna igual a qualquer um, tendo, portanto, uma consciência limitada de certo problema. Em O Hobbit, Bilbo Bolseiro é um típico hobbit, com todos os maneirismos e medos relativos a raça, apresentado em sua vida mansa no Condado, desconhecendo o que acontece pela Terra Média. Em Harry Potter, Harry é apresentado em sua vida de ‘trouxa’, vivendo com seus tios e primo igualmente ‘trouxas’, não sabendo a verdadeira história do seu passado.

 

Passo 2 – Chamado à aventura

Algo de diferente acontece na vida do protagonista, aumentando, portanto, a sua consciência do que existe no mundo. Quando Gandalf aparece na porta do Bilbo, com o seu cachimbo e falando sobre o que seria um “Bom dia” e sobre aventuras, trata-se de um momento inesperado no dia-a-dia do pequeno hobbit. Em Harry Potter, quando milhares de cartas de uma Escola de Magia e Bruxaria chegam a sua residência.

 

 

Passo 3 – Hesitação

Trata-se de um passo para exaltar o comodismo que o personagem tem com sua vida pacata. Bilbo Bolseiro demonstra hesitação, não querendo ir com Galdalf para além dos Ermos, pois não seria algo que um hobbit faria em sã consciência. No caso de Harry, essa função fica com o tio Walter, que faz de tudo para o garoto não ler as correspondências.

 

4 – Encontro com o mentor

Percebe-se que os passos não precisam seguir ao pé da letra, apenas tendo os efeitos propostos, como no caso anterior, em que é o tio de Harry que recusa o convite à aventura. Aqui, nesse passo, o protagonista se encontra com alguém ou irá enfrentar uma situação que irá forçar a assumir a aventura que está por vir. Bilbo, influenciado pela energia dos anões e por Gandalf, acaba aceitando e indo em encontro à Companhia dos Anões. Harry, após uma tentativa de seus tios de fugir das correspondências, acaba sendo encontrado pelo gigante e benevolente Hagrid, dizendo-o que é um bruxo.

 

5 – Travessia do limiar

Trata-se do comprometimento com a mudança, em que o personagem finalmente enfrenta o mundo que lhe era apresentado. Quando Bilbo enfrenta os trolls da floresta, ele aceita as suas habilidades de ladrão para serem usados a favor dos anões – é o primeiro contato com a aventura. A travessia de Harry se dá quando ele atravessa a parede do Caldeirão Furado e adentra o Beco Diagonal, para comprar os seus utensílios de aluno.

 

6 – Testes, aliados e inimigos

Aqui são os fatos que acontecem durante a trama, até se chegar perto do grande objetivo. Trata-se de um momento de experimentação da primeira mudança a qual o personagem sofreu ao aceitar a aventura. Lembre-se, a fórmula da Jornada do Herói se trata sobre a transformação do personagem em um herói, logo a ênfase quanto a mudança é importante. Percebe-se ainda que a maior parte da história acontece sob esse passo. Trata-se do desenvolvimento. Por exemplo, Bilbo conhece Valfenda, as Montanhas Sombrias, enfrenta aranhas e chega a Cidade do Valle. Quanto a Harry, ele conhece amigos, adversários, aprende sobre porções e feitiços e entra para o time de quadribol.

 

7 – Aproximação da caverna profunda

É quando o personagem se aproxima do grande objetivo. É a preparação para mais uma e agora grande mudança. Aumenta-se aqui a tensão e o medo. Não há definição nesse passo, sendo apenas a aproximação das profundezas da caverna, metaforicamente falando. Para Bilbo Bolseiro é quando ele finalmente chega na Montanha Solitária, onde reside o dragão vermelho Smaug. Para Harry, é justamente quando ele passa pelas provações dos professores sobre o alçapão do Fofo, encontrando-se com Quirrel e Voldemort. Para Bilbo, o objetivo final é enfrentaro dragão, e para Harry, encontrar a Pedra Filosofal.

 

8 – Provação

É a tentativa da grande mudança. É enfrentar o objetivo final, tentando-se triunfar. O embate final, pode-se dizer. Bilbo enfrenta o dragão conversando, e Harry se vê no espelho de Ojesed com a pedra filosofal, enfrentando Quirrel/Voldemort em seguida.

 

9 – Recompensa

Aqui se encontra as consequências da provação, tanto melhorias quanto retrocessos. Bilbo, por exemplo, consegue tirar o dragão de Erebor, mas este vai até a Cidade do Valle, onde é morto. Harry consegue a pedra filosofal e evita que Voldemort a conquiste, forçando-o a se esconder de novo.

 

10 – Estrada de volta

É encontrar o caminho de volta após a provação. Serve para demonstrar a nova dedicação do persoangem. Geralmente é uma passagem breve, ou até mesmo inexiste em algumas histórias. Em o Hobbit, é quando ele se prepara para voltar ao Condado. Para Harry, é quando ele se prepara para voltar à Rua dos Alfeneiros.

 

11 – Ressurreição

É uma trama secundária que ainda não foi resolvida. Por exemplo, em o Hobbit é a batalha dos Cinco Exércitos logo depois da morte de Smaug. Em Harry Potter, é quem será o vencedor na disputa de pontos das Casas.

 

12 – Retorno com o elixir

É o chegar ao seu antigo mundo transformado. É um artifício simples para evidenciar as mudanças que o personagem sofreu durante toda a sua jornada. Bilbo retorna ao Condado carregando baús e troféus de guerra, e todos os olham estranho, pois não é algo digno de um Hobbit. Para Harry, há o retorno para a casa dos tios, onde ele não se sente à vontade e feliz como se sentia em Hogwarts.

 

Existem outras fórmulas para se criar uma história, mas a Jornada do Herói é a mais usada. Basta perceber os diversos tramas em que o personagem vive sua vida pacata e é jogado em algo totalmente estranho, tal como acontece com Marty McFly ao viajar pro passado, ou como o protagonista em Kingsman se torna um Kingsman. Não é uma regra, mas apenas um guia para os criadores de mundos.

 

 

 

Queres demonstrar suas histórias ao mundo? Envie o seu original à Editora Sentinela, para o seguinte e-mail: atendimento@editorasentinela.com.br

 

Visite também a nossa loja e conheça lindas histórias nesse LINK.

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon